Tag Archives: web

AMPPS – Um alternativa ao XAMPP para Windows e Mac

Quando necessitamos de criar sites/serviços Web, é necessário possuir um ambiente de desenvolvimento que possua suporte para as tecnologias nas quais vamos desenvolver os nossos projetos. Lembro-me que, há uns anos, era muita das vezes complexa e árdua a tarefa de preparar uma plataforma de desenvolvimento em Apache + PHP + MySQL. Com o aparecimento da popular plataforma XAMPP tudo se tornou mais simples, pois basta iniciar os serviços para que tudo funcione na perfeição, não havendo assim a necessidade de integrar componentes/módulos (ex. Apache + PHP + MySQL).

Depois de termos apresentado o XAMPP, o WampServer, entre outros..hoje vamos conhecer o AMPPS.

ampp_06

 

Para quem não sabe, o Apache Web Server foi criado em 1995 por Rob McCool, que na altura era funcionário da NCSA (National Center for Supercomputing Applications). Este servidor web é distribuído numa variedade de plataformas impressionante, deste o Windows, Linux, Novel, Mac, OS/2 BeOS e etc. O PHP é uma linguagem de programação para server-side scripting e o  MySQL Base de dados open source mais popular (apesar de recentemente estar “debaixo de fogo – saber mais aqui“.

O AMPPS foi desenvolvido pela empresa Softaculous e permite, de uma forma simples e rápida, montar uma plataforma de desenvolvimento com suporte para Apache, Mysql, PHP, Perl, Python, incluindo um serviço de FTP. Além disso, esta plataforma facilita a instalação de mais de 200 plataformas, como é o caso:

Screenfly – Teste sites em diferentes dispositivos

O Screenfly é um serviço web que vos vai permitir ver os sites que desenvolveram em diferentes resoluções e em diferentes dispositivos, quer sejam móveis ou mais fixos.

Com o Screenfly vão poder rapidamente verifica como são apresentadas as diferentes páginas web nos mais diferentes equipamentos. É uma forma simples de verificar se as páginas que estiveram a desenvolver estão adequadas a todos os dispositivos onde podem ser visualizadas.

O Screenfly usa um proxy para pedir e renderizar as páginas que pretendem ver nos diferentes dispositivos. Através deste proxy os pedidos são efectuados e apresentados como se de um desses dispositivos se tratasse. Esta funcionalidade permite que caso um site tenha um formato móvel para esse tipo de dispositivos ele seja apresentado e não o site normal.

O Screenfly permite que emulem quatro tipos de dispositivos. Um desktop normal, um tablet, um telefone ou um televisor. Cada uma destas categorias permite que escolham um tipo específico de equipamento e de resolução. Estão presentes 2 iPhones, 2 iPads, vários tablets Android e vários telefones com o mesmo sistema operativos. No caso das outras duas categorias apenas estão disponíveis diferentes resoluções.

Existe ainda a possibilidade de activar o scroll das páginas e de rodar o ecrã apresentado. Apesar de simular estes dispositivos, o Screenfly não permite activas as funcionalidades específicas destes.

O Screenfly não permite também uma completa interacção com os sites. Permite que naveguem entre os diferentes links de uma página, mas processos de autenticação ou download de ficheiros não são possíveis.

Homepage: Screenfly dica do Peopleware.

Imprima documentos pela internet

Imprima documentos pela internet

Você não precisa de uma impressora cara nem de uma complicada estrutura de rede para enviar e receber documentos impressos remotamente. Se deixar a impressora acessível pela internet, dá para compartilhar material e aposentar de vez o fax (se é que ele já não estava aposentado). Há várias formas de fazer isso. Neste tutorial vamos aproveitar um software prático, que faz todo o serviço pesado, mas tem uma chatice: imprime uma propaganda a cada documento, em sua versão gratuita.

1) Download e instalação
Comece baixando o PrinterShare. Faça a instalação do programa normalmente e, ao chegar na tela PrinterShare Account, escolha a opçãoCreate a New PrinterShare Account. Digite um nome de usuário e e-mail para fazer o registro. Termine a instalação e verifique o e-mail teclado. Uma nova mensagem trará um número de usuário e senha que poderão ser usados em todas as máquinas para impressão remota.

2) Configuração

Rode o PrinterShare. A tela principal do programa mostrará as impressoras instaladas no computador. Para compartilhar uma delas, clique em seu ícone e, depois, pressione o botão Share. Agora, acesse Tools Settings. Na guia Sharing, marque a opção Print Without Questions, para imprimir tudo o que for enviado sem precisar de autorização do usuário. Se preferir autorizar cada impressão, mantenha a opção Print Requests Require My Authorization.

3) Acesso remoto
Para acessar a impressora em uma máquina remota, instale nela o PrinterShare. Na tela PrinterShare Account, use o número de usuário e senha recebidos por e-mail. Depois de instalado o programa, rode-o e clique em Find Printer. Tecle seu nome de usuário em Owner Nick e pressioneFind. Escolha a impressora compartilhada e clique em OK. Agora, basta imprimir em qualquer programa, escolhendo a impressora PrinterShare, para que o trabalho seja enviado para a máquina remota.

4) Impressão pela web


O PrinterShare também permite a impressão remota de imagens diretamente pela web, sem precisar instalar o programa. Para isso, faça o login no site do fabricante e acesse WebPrint Start PrinterShare WebPrint. Escolha as imagens desejadas clicando em Add File. Depois de tudo escolhido, pressione Select Printer. Os arquivos serão enviados para o servidor do PrinterShare. Depois, tecle seu nome de usuário e pressioneFind. Escolha a impressora para as fotos e clique em Print.

Fonte: Info

Cinco serviços web da Microsoft que você deveria conhecer e usar

Muitos usuários odeiam tanto a Microsoft que esquecem de ver o que ela faz direito. Descobrimos algumas preciosidades.

Quando se pensa em aplicativos e serviços web, a Microsoft não é a empresa da qual, em geral, as pessoas se lembram. Entretanto, a Microsoft tem feito alguns progressos interessantes incluindo alguns lançamentos que se equiparam e até mesmo são superiores aos que são oferecidos pelo Google, Yahoo e qualquer outra empresa startup da qual você provavelmente nem ouviu falar.

Mas para qual deles a oferta da Microsoft é melhor? Para conferir, experimentamos alguns deles e descobrimos cinco pérolas que valem ser conhecidas.

Nesta pesquisa, uma coisa chamou a atenção: a maior parte dos serviços carregam a marca Live, criada pela Microsoft. É bem provável que a maioria dos usuários fique extremamente confusa com a extensão da família de produtos Live – sem contar que pode até não entender o que esse “Live” quer dizer, ainda mais depois que a Microsoft resolveu deixar as coisas ainda mais confusas, com a introdução do Live Essentials.

Para não restar dúvida: O Windows Live é uma central online de acesso aos serviços e aplicativos Live. Já o Windows Life Essentials é um subconjunto do Windows Live que concentra aplicativos que podem ser baixados pelos usuários, incluindo o Photo Gallery, Movie Maker, Messenger, entre outros.

Windows Live SkyDrive
Por que ele vale a pena? Você obtém 25 GB de espaço para armazenamento online, sem custo nem exigências. É exatamente isso que o Windows Live SkyDrive oferece. Basta criar pastas no site e fazer o upload de arquivos para elas. Você também pode compartilhar qualquer de suas pastas com colegas de trabalho. E sua interface é simples e fácil de compreender.

Skydrive-for_Web.jpg

Mas ele não é perfeito: você não pode usar o SkyDrive como drive virtual – você não o verá no seu PC como um drive; por isso não é possível salvar arquivos diretamente nas pastas do SkyDrive a partir de qualquer programa, como o Office, por exemplo. Mas este é um problema menor. 

Não há argumento que derrube tal capacidade de armazenamento, ainda mais quando se leva em conta que nem o Google nem o Yahoo possuem atualmente qualquer serviço parecido. Há rumores de que o Google estaria trabalhando em um serviço similar denominado GDrive.  Já o Briefcase, do Yahoo, proporciona apenas 25MB e está previsto para sair do ar, definitivamente, no final deste mês. Então, por enquanto, o Windows Live SkyDrive é tão bom quanto a capacidade de storage que ele oferece.

Windows Live Sync
Quem tem mais de um PC e quer manter arquivos e pasta entre todos eles em sincronia com toda a certeza vai precisar deste serviço. Depois de baixar e instalar um pequeno aplicativo em cada uma das máquinas, deve ir até a página do Windows Live Sync e informar que pastas e em que PCs devem ser mandidas sincronizadas. 

É possível sincronizar pastas pessoais bem como aquelas que são compartilhadas. Toda vez que qualquer dos PCs estiver conectado na web, eles terão as pastas selecionadas automaticamente sincronizadas umas com as outras. 

Adicionalmente, é possível se conectar a qualquer dos PCs em sincronia, a partir de qualquer outro computador também parte integrante desta sincronia, e navegar por todo o disco rígido da máquina alvo e copiar arquivos.

Live_sync_for_web.jpg

Note que, diferentemente de alguns serviços de sincronismo gratuitos que vimos por aí, o Live Sync não mantém cópia dos seus arquivos na web: ele funciona apenas como um tubo condutor entre os PCs envolvidos no processo de sincronismo. E ao não envolver qualquer armazenamento online, ele não impõe qualquer limitação do volume de dados que se pode sincronizar. Ah! E também é gratuito.

Live Mesh
Eis aqui um serviço gratuito da Microsoft para pessoas que querem manter seus arquivos na nuvem da internet. Como o Live Mesh é mais poderoso que o Windows Live Sync, ele acaba sendo também um pouco mais complicado de usar.

Live_mesh_2_for_web.jpg

Além de poder sincronizar arquivos e pastas entre PCs, pode-se criar pastas no Live Mesh e fazer com que todos os computadores desejados fiquem em sincronia com o que estiver armazenado nelas .

Com tal facilidade, é posível acessar arquivos e pastas a partir de qualquer computador com conexão web. E ainda é possível obter um controle enorme sobre os mecanismos de sincronismo. Por exemplo, é possível escolher sincronizar apenas arquivos que tenham sido modificados nos últimos 30 dias ou que sejam menores que 500MB.

O Live Mesh ainda permite controlar remotamente qualquer PC que faça parte do seu ‘mesh’. E a Microsoft já anunciou não ter planos de cobrar pelo storage, nem limitar a quantidade de dados que podem ser armazenados no Live Mesh. 

Microsoft Office Live Workspace
Office Live Workspace irá ajudar qualquer um que possua um pequeno negócio ou grupo de trabalho que precisa de uma forma simples de trabalhar de forma colaborativa. Com este serviço, pode-se criar e compartilhar documentos, agendas, listas de tarefas e muito mais.

Office_Live_for_Web.jpg

Pode-se começar criando uma área de trabalho compartilhada. O usuário pode escolher entre 11 áreas pré-definidas – por exemplo: Project Workspace; Meeting Workspace ou Travel Workspace -  ou ainda criar suas próprias. 

Cada área de trabalho de trabalho possui templates já construídos para ela, incluindo apresentações PowerPoint, planilhas Excel e documentos Word. 

Membros do grupo podem trabalhar em documentos e salvá-os para que outros do grupo possam vê-los e editá-los também. Para editar documentos do Office, é necessário instalar um complemento gratuito do Office; para visualizar documentos, contudo, esse complemento não é necessário.

Por que usar este serviço em vez do Google Docs ou Zoho? Uma grande razão é sua direta integração com o Microsoft Office – pode-se salvar arquivos para a área de trabalho a partir da própria suíte de aplicativos, e também é possível usar os programas que a compõem para editar arquivos que estiverem guardados no workspce. E acima de tudo: os templates são muito melhores do que os encontrados no Docs e no Zoho.

Microsoft’s Virtual Earth 3D
Ok. Este não é um serviço web propriamente dito. Trata-se de um aplicação de desktop que trabalha com um serviço web. Mas o Microsoft Virtual Earth 3D é um serviço web muito bom.

Pelo fato de o Google Earth ser o aplicativo dominante nesse segmento, poucas pessoas chegaram a dar uma olhada no produto da Microsoft – e isso é uma pena. 

Essa aplicação ‘baixável’ trabalha junto com o Windows Live Maps para fornecer visões 3D excelentes de lugares ao redor do mundo. Por meio de controles muitos simples, o usuário pode navegar pela cidade facilmente. 

Também é possível fazer tours guiados que outras pessoas criaram, além de criar seus próprios roteiros. Os roteiros podem ser salvos para uso futuro ou para serem compartilhados com outros usuários.

Virutal_Earth_3D_for_Web.jpg

As imagens são muitos mais ricas e complexas dos que as oferecidas pelo Google. Assim, caso procure uma grande aplicação de mapas 3D, deve experimentar esse serviço. Para usar o Virtual Earth 3D em combinação com o serviço Live Maps, é preciso baixar o Virtual Earth 3D e isso pode ser feito tanto no Windows Live Maps quanto na área geral de downloads da Microsoft.

Fonte: PCWorld

O Chrome na sua mão

O Chrome na sua mão

Mais Três truques para fazer o navegador do Google trabalhar melhor 

O Chrome fez um sucesso estrondoso nas primeiras semanas depois de sua estréia. Mas ele ainda precisa mostrar mais do que velocidade para fazer frente aos navegadores mais poderosos, como o Firefox e o Opera. Para alcançar esse sucesso, o Google preparou várias surpresas dentro do Chrome, que adicionam funcionalidade ou ajudam a melhorar seu uso. Confira, a seguir, alguns desses truques. 

1) Explore a Omnibar

Além de completar endereços de sites, a barra Omnibar tem integração com as buscas do Google e pode fazer operações com os dados pesquisados. Para fazer cálculos e conversões de medidas, por exemplo, basta digitar os números, sinais e unidades. O resultado é mostrado na Omnibar. 

2) Proxy na linha

Para quem utiliza o notebook em casa e no escritório, pode ser preciso alternar entre duas configurações para usar o browser com e sem servidor proxy. Isso pode ser resolvido no Chrome usando um atalho personalizado. Para criá-lo, acesse a pasta Application, que está dentro do diretório Chrome em C:\Documents and Settings\Usuário\Configurações locais\Dados de aplicativos. Clique com o botão direito em chrome.exe e escolha Criar Atalho. Clique com o botão direito no atalho criado e selecionePropriedades. Depois, adicione no campo Destino a opção –proxy-server= endereço:porta para informar o nome ou o IP do proxy e sua porta TCP/IP. Clique em OK e copie o atalho para a área de trabalho. Em seguida, dê a ele um nome como “Chrome – Escritório”. Depois, bastará dar um clique duplo nesse ícone para ativar o navegador com a conexão via proxy configurada.

3) De olho nos sites pesados

Se o Chrome ocupar muita memória, a causa pode ser um site mal comportado. Para descobrir o culpado, tecle Shift Esc e visualize o uso de memória em cada página. Outra opção é clicar com o botão direito numa página e escolher Inspecionar Elemento. Na janela que surge, clique emResources e em Size. Será mostrada uma lista de itens ordenados por tamanho. A ferramenta também mostra o tempo de carregamento dos elementos. 

Além destas dicas, ainda há a possibilidade de navegação em modo anonimo, como mencionamos neste POST anterior.

Como navegar na Internet sem deixar rasto

Para isso vamos usar o Google Chrome. Depois de instalado, botão lado direito do mouse em cima do ícone do Google Chromepropriedades e adicionar no atalho para a aplicação:  –incognito

Clicar em OK e inicializar o navegador. Para isso dois clicks no Google Chrome  e verifiquem que o seu browser encontra-se agora no modo incógnito.

sshot-3

Essa dica é válida apenas para computadores em residências, ou onde não são utilizados servidores proxy, para o monitoramento da navegação web, mas já é bem válida!