Tag Archives: problemas

Fix it Center: a Microsoft conserta seu Windows

Foi lançado hoje, em estágio beta, a mais nova ferramenta de correções automáticas para Windows da Microsoft. Batizada de Fix it Center, é uma central recheada com mais de 300 soluções automáticas para os problemas mais comuns que envolvam Windows, incluindo a já veterana versão XP.

O novo serviço é, na realidade, uma empreitada em duas frentes, um mix de serviços via Internet e um programa local, a ser instalado no Windows. Lembra em muito as ferramentas de diagnóstico nativas do Windows 7, sendo que, nessa versão do Windows, o Fix it Center estende a reparação de problemas e age de maneira proativa, prevendo e impedindo que problemas ocorram. Para XP e Vista, além de algumas versões para servidores, implementa esses benefícios até então só disponíveis na última versão do sistema.

Visão geral do Fix it Center.

Mesmo quando o Fix it Center não encontra a solução, ele ainda pode ser útil, pois dá ao usuário opções de contato com o suporte da Microsoft, que por sua vez poderá analisar o problema em detalhes, e se for o caso, implementar a solução no rol das disponíveis no programa.

Fix it Center Online.

Além do usuário doméstico, a Microsoft pretende oferecer a solução para pequenas empresas, permitindo que múltiplos PCs sejam monitorados a partir de uma única conta. Sysadmins devem estar ansiosos neste ponto :-) .

A marca “Fix it” data do final de 2008, mas essa é a primeira vez que ela aparece de maneira tão integrada. Anteriormente, vários “fixes” estavam espalhados na documentação de suporte da Microsoft (exemplo). Agora, com tudo centralizado, status de ferramenta oficial e a promessa de ser atualizado com frequência, tem tudo para fazer bastante sucesso.

Infelizmente, o Fix it Center ainda não está disponível em português. E aos que forem testar, vale avisar que é preciso vincular uma Windows Live ID à instalação do aplicativo.

Fonte: WinAjuda

Solucionar Problemas com acesso ao Hyper-V

 

Nesse artigo vamos demonstrar como resolver o problema de gerenciar o Hyper-V Server em workgroup através de uma máquina cliente com o Windows7.

Muitas pessoas têm relatado esse problema ao executar o gerenciamento do Hyper-V em workgroup – especificamente se deparam com os seguintes erros “acesso negado. Não é possível estabelecer comunicação entre o “Server e o “cliente”. Em alguns casos, já vi erros RPC como “servidor RPC não está disponível. Não é possível estabelecer a comunicação entre “Server” e “cliente”. “

Diagnosticar o problema as vezes é uma tarefa que toma um pouco do tempo, ainda mais quando não temos muito tempo… Então nesse post vou demonstrar passo-a-passo como resolver esse problema.

A instalação do Hyper-V Server é bem simples e intuitiva, para esse procedimento estou usando o Hyper-V Server 2008 R2.

Vamos começar?

Definindo a senha de Administrador

Durante o primeiro logon após a instalação do Hyper-V Server, você será solicitado a digitar/criar a senha.

Nota: Este processo só ocorre durante o primeiro logon após a instalação do Hyper-V Server.

Hyper-V Configuration Tool

A ferramenta de configuração do Hyper-V é destinada a apoiar o administrador com um menu User Interface (UI) para configurar o Hyper-V Server. A ferramenta de configuração do Hyper-V inicia automaticamente no login do Administrador do sistema.

Nota: Se precisar inicar manualmente a ferramenta de configuração do Hyper-V Server 2008 R2, você precisa usar o comando sconfig.cmd e pressionar Enter, diferente da versão Hyper-V Server 2008, que para chamar o tela de configuração você usava o comando hvconfig.cmd.

10 razões para adotar redes sociais nas empresas X Novos Problemas a Empregadores

Muitas empresas tem receio de utilizar redes sociais dentro das empresas alegando que haverá queda na produtividade de seus funcionários. Isso prova, como sempre, que as pessoas preocupam-se mais em identificar os problemas do que em enxergar as oportunidades presentes em certas decisões. Esse tipo de pensamento focado apenas no problema faz com que as empresas substimem a capacidade criativa, de mobilização e criatividade coletiva das pessoas dentro das empresas.

A realidade das empresas mudou. A competição é muito maior do que no século passado e isso faz com que a inovação seja a principalmente competência a ser desenvolvida pelas empresas. Inovação que deve vir de todos os lugares da empresa. A emrpresa deve buscar conhecimento onde quer que ele esteja, seja dentro ou fora da empresa. Alguns dizem que ela deve ser “chuveiro” (de cima para baixo), outros dizem que deve ser “bidê” (de baixo para cima), mas o importante é que ela seja do tipo “hidromassagem” (de todos os lados).

Mauro Segura, consultor da IBM, revelou o resultado de uma pesquisa que a própria IBM faz regularmente, chamada “CEO study – The enterprise of the future”. O estudo apontou 5 tendências:

- As empresas serão ávidas por mudança;

- Inovação de fora para dentro;

- Empresas globalmente integradas;

- Disruptivas por natureza;

- Pensam na sustentabilidade e no longo prazo;

Diante desse cenário, as empresas devem basear suas ações no desenvolvimento do seu capital intelectual a fim de criar uma cultura de inovação em que todos sintam que são livres para expor suas idéias. Para isso, é preciso dar voz as conversas existentes dentro das organizações. Nesse sentido, as redes sociais são ótimas ferramentas para criar esse ambiente de conversas dentro das empresas, pois ela aproxima as pessoas e facilita a conexão entre pessoas com interesses comuns e que poderiam compartilhar ideias.

Nesse sentido, Mauro apresenta as 10 razões para se adotar redes sociais dentro das empresas:

- Acesso rápido e fácil ao conhecimento: com as ferramentas atualmente existentes, é muito fácil criar um ambiente onde as pessoas possam discutir, apresentar suas idéias e registra-las para outras pessoas consultarem.

O ser humano adora redes sociais: especialmente os brasileiros, uma vez que mais de 80% dos brasileiros, que se conectam a Internet, participam de algum tipo de rede social. Brasileiro gosta de conversar;

A inovação aparece: o ambiente das redes sociais facilita o surgimento da diversidade de perspectivas e opiniões, condição essencial para surgimento da inovação;

Quebra da barreira geográfica: você pode conversar com qualquer pessoa independente da localização geográfica em que ela esteja;

Quebra da barreira hierarquia: talvez seja esse o maior temor de quem está no comando das empresas. Não existem escadinhas que deve ser escaladas para que as informações e as opiniões cheguem ao alto escalão da empresa. Isso é irreversível e incontrolável;

Comunicação direta sem intermediários: comunicação sem filtros. Não existe mais aquela de que “Quem conta um conto aumenta um ponto”;

Identidade pessoal: nas redes sociais, você tem a oportunidade de mostrar quem você é. Você pode expressar suas opiniões e suas crenças;

Referênciasé uma oportunidade de criar um grande conjunto de referências para posteriores consultas;

Política de portas abertas: deixe a comunicação fluir livremente e você se surpreenderá com a capacidade de criar coletivamente de seus funcionários;

Tecnologia simples e fácil: não é preciso ser um expert em tecnologia ou em construção de sites para você montar sua rede social. Existem ferramentas que auxiliam qualquer pessoa na criação de um blog, por exemplo.

Adotar redes sociais dentro das empresas potencializa a geração de inteligência coletiva dentro das empresas, além de descobrir pessoas talentosas, que ficam escondidas na imensidão dos cargos e departamentos das empresas, e facilita a identificação dos agentes de mudança dentro da empresa e que podem influenciar outras pessoas a se tornarem inovadoras. Aliás, Mauro apresentou o resultado de um estudo da universidade de Melbourne de que funcionários que utilizam redes sociais são 9% mais produtivos do que aqueles que não usam.

Com certeza, no século XXI o valor está no intangível.

Por Marcelo Bastos (http://hsm.updateordie.com/author/mbastos/)

Este texto foi publicado, originalmente, no Blog da HSM.

Opinião meio contraditória não acham? Por outro lado, temos a perca de produtividade por abusos:

Jogos no Facebook causam novos problemas para empregadores

Perda diária de produtividade das empresas pode chegar a 12,5%. Cerca de 20% dos usuários da rede social jogam os games.

Para muitos empregadores, Facebook, MySpace e outras redes sociais já são um flagelo no que tange a perdas de produtividade. Agora eles têm algo mais com que se preocupar: os jogos que esses sites oferecem.

Esse novo gênero de games sociais permite que as pessoas joguem com os amigos sem que todos precisem estar online ao mesmo tempo.

O envolvimento de baixa intensidade requerido fez com que jogos como “Farmville”, “Cafe world”, “Restaurant city”, “Pet society” e “Happy aquarium”, desenvolvidos por produtoras como Zynga, Playfish, Crowdstar e Slashkey, ganhassem popularidade entre os trabalhadores, que muitas vezes se conectam para jogá-los durante o expediente.

De acordo com uma recente pesquisa conduzida pela Associated Chambers of Commerce and Industry of India, cerca de 12,5% da produtividade do setor empresarial é desviada a cada dia para atividades em sites de redes sociais. “O que estamos vendo são mais e mais pessoas e organizações que reconhecem a perda de produtividade. Com isso, provavelmente mais bloqueios de aplicativos do Facebook por ordem dos executivos de informática serão vistos”, disse Rebecca Wettermann, da Nucleus Research.

A Nucleus Research conduziu um estudo recente sobre os efeitos das redes sociais sobre a produtividade no ambiente profissional. O levantamento constatou que cerca de metade dos funcionários de escritório dos Estados Unidos visitam sites de redes sociais no horário de trabalho, o que resulta em uma perda média da ordem de 1,5% da produtividade total do escritório.

O Facebook, que conta com 350 milhões de usuários no mundo, diz que pelo menos 20% de seus membros jogam online.

Sebastien de Halleux, presidente-executivo e co-fundador da Playfish, uma produtora de jogos on-line, disse que o crescimento na Ásia é mais rápido do que em outras regiões. “Não tínhamos ideia de que a difusão seria tão rápida. Quando conquistamos 100 mil usuários mensais, achávamos que aquilo fosse o auge do sucesso. Agora, com 60 milhões de usuários, achamos que estamos apenas no começo de algo muito maior”, disse.

Opiniões meio contraditórias não? Gostaria de saber as opiniões de cada um, comentem.

Incêndio em data center da Telefônica em SP prejudica clientes

Operadora não divulgou quantos clientes foram afetados, mas sites do Pão de Açúcar, Extra e CompreBem ficaram inacessíveis.

 

Um incêndio no data center da Telefônica em Alphavile, município de Barueri, São Paulo, afetou as operações da operadora na tarde desta quarta-feira (25/02).

A empresa não informou quantos clientes foram afetados, mas, segundo a assessoria de imprensa da Telefônica, o incidente atingiu apenas clientes corporativos da empresa. Os sites da operadora ficaram fora do ar durante a tarde, conforme constatou a reportagem de COMPUTERWORLD. 

Dentre as operações afetadas estavam o portal do Pão de Açúcar. A área de comunicação da rede varejista confirmou que a queda do site está relacionada com o incêndio, mas não divulgou outras informações. Os sites do Extra e do CompreBem, além da empresa de recursos humanos Adecco e a rede de televisão SBT, também ficaram inacessíveis.

O data center em questão hospeda servidores e outros equipamentos, além de fazer o gerenciamento de dados da empresa e de clientes de grande porte, divulgou a Telefônica por meio de nota.

De acordo com informações do 18º Grupamento de Bombeiros de Barueri, que atendeu a ocorrência, o incêndio ocorreu no interior do prédio da Telefônica e 15 homens do grupamento foram necessários para conter as chamas. 

O fogo, que começou na área onde ficam alguns geradores, de acordo com os bombeiros, gerou muita fumaça e danificou equipamentos. O prédio precisou ser evacuado, mas ninguém se feriu. Uma vistoria ainda será feita para apurar as causas do acidente.

Fonte: PC World

TeraCopy

TeraCopy é um programa desenvolvido para copiar e mover arquivos na máxima velocidade possível, com as seguintes características:

  • Cópia rápida de arquivos - O programa utiliza buffers ajustados dinamicamente para reduzir os tempos de busca. Cópias assíncronas aceleram a transferência entre dois HDs;
  • Suspensão e reinício de transferências - Suspenda o processo de cópia a qualquer tempo para liberar recursos do sistema, reiniciando posteriormente do ponto exato onde parou com um simples clique do mouse;
  • Recuperação de erros - Em caso de erros na cópia, TeraCopy tentará a leitura do arquivo problemático muitas e muitas vezes. Na pior das hipóteses, o arquivo será ignorado, ao invés de finalizar a transferência inteira no ponto onde o erro foi constatado;
  • Lista de arquivos interativa - O aplicativo exibe as transferências que não foram completadas com sucesso, permitindo a você corrigir o problema recopiando somente os arquivos problemáticos;
  • Integração com o Shell - O programa pode substituir completamente as funções de copiar e mover do Windows Explorer, permitindo a você trabalhar normalmente com os arquivos.

Download

Falha humana causou pane em ferramenta de buscas, diz Google

Links com ‘/’ eram identificados como nocivos pelo Google. 

Erro no sistema durou cerca de 40 minutos neste sábado (31).

A pane no sistema de buscas do Google neste sábado (31), que identificava como “nocivos” sites teoricamente legítimos, como o próprio google.com.br, foi causada por falha humana, segundo o blog oficial da empresa. “Foi uma falha clara, e sentimos muito pela inconveniência causada aos nossos usuários”, disse em comunicado a vice-presidente do setor de buscas Marissa Mayer.

 Foto: Reprodução

Google ‘infectado’: buscas pelo Google transformavam sites legítimos em nocivos. Nem mesmo o próprio site escapou do ‘bug’ no sistema  (Foto: Reprodução)

 

Segundo ela, a falha ocorreu quando o sinal “/” foi relacionado à lista de endereços da web que oferecem risco ao internauta. Essa monitoração é feita pelo Google a partir de uma lista organizada pelo grupo sem fins lucrativos StopBadware.org - site que ficou fora do ar durante horas neste sábado (31). A lista é atualizada por profissionais especializados, e não por mecanismos automáticos.

 

Como todo endereço da internet tem o sinal “/” em sua URL, as buscas efetuadas no Google passaram a indicar que os sites eram suspeitos e poderiam oferecer riscos ao usuário. Marissa afirma que esse procedimento de segurança é adotado para evitar que o internauta tenha acesso a sites que possam instalar pragas virtuais ou oferecer outras ameaças ao internauta.

 

40 minutos de erros

Ao buscar pela palavra “google”, por exemplo, o usuário recebia a lista de resultados e o alerta: “Este site pode contaminar seu computador”. Ao clicar no link, o internauta era levado a uma segunda página, que reforçava o alerta, com a sugestão “volte à página anterior e selecione outro resultado”. O aviso também recomendava que o usuário visitasse o site StopBadware.org para “obter mais informações”, mas a página estava fora do ar. Segundo o Google, a pane durou cerca de 40 minutos.

Freio nas importações deve encarecer PC

SÃO PAULO – Uma medida do governo para frear as importações coloca em risco o mercado brasileiro de eletrônicos.

 

O Ministério do Desenvolvimento criou, esta semana, uma barreira não tarifária que aumenta a burocracia para as importações brasileiras e impacta diretamente sobre o mercado de eletrônicos, já que PCs, smartphones, TVs LCD ou Home Theaters contam invariavelmente com componentes importados para sua fabricação no Brasil. Em muitos casos, aliás, estes gadgets chegam ao país totalmente prontos via importação.

 

O setor de eletrônicos já sofreu um duro golpe no Brasil em meados de agosto, quando o dólar disparou saindo de um patamar de R$ 1,60 para mais de R$ 2,10. A desvalorização do real acontece, entre outros fatores, em função da fuga de capitais do Brasil para o exterior.

 

Com o agravamento da crise global, muitos investidores preferem investir seu capital em aplicações consideradas mais seguras, como títulos da dívida americana, ao invés de deixá-los em países emergentes e potencialmente instáveis, como o Brasil.

 

Este fenômeno fez as transações correntes do Brasil (diferença entre a quantidade de dólares que entra e sai do país) fecharem 2008 com um déficit de US$ 28,3 bilhões. Em 2006, este número foi favorável ao Brasil em US$ 13,6 bilhões e em 2007 foi positivo em US$ 1,6 bilhão.

 

Maior burocracia

 

Por meio de uma determinação do Siscomex, sistema que gerencia o comércio externo do Brasil, o governo vai exigir que todo importador obtenha, antes de fechar negócio, uma autorização especial chamada de LI (Licença para Importação). Este sistema já vigorou no Brasil nas décadas de 70 e 80 e visava proteger o país de um desequilíbrio nas frágeis contas externas brasileiras.

 

Desde os anos 90, porém, o Brasil vem liberalizando seu comércio exterior. A exigência de uma “autorização” para importar foi recebida debaixo uma chuva de críticas vinda dos setores da indústria nacional que dependem de componentes importados e mesmo pelos importadores.

 

Em nota publicada em seu site, a Abinee, associação que reúne fabricantes de eletrônicos, manifestou indignação com a decisão, que classificou como um retrocesso. O presidente da associação, que está na África acompanhando uma comitiva de empresários e o ministro do Desenvolvimento, Miguel Jorge, disse que manifestou pessoalmente ao ministro seu desapontamento com a decisão.

 

A Abinee pede a suspensão imediata do sistema de autorizações para importar. Até a publicação da medida, qualquer importador podia fazer compras do exterior sem pedir permissão ao governo. Basta preencher uma guia de importação e pagar os impostos na Receita Federal.

 

Em nota, o presidente da Abinee, Humberto Barbato, diz que a medida “agravará ainda mais a já crítica situação dos fabricantes de eletroeletrônicos”. “Esperamos a revogação imediata desta medida, pois o setor produtivo não pode pagar mais este preço por mais um descontrole do governo”, escreveu Barbato.

 

Medida deve ser temporária

 

Após a forte reação negativa do mercado, o Ministério do Desenvolvimento divulgou nota dizendo que a exigência de autorização é temporária, não afeta todos os setores da economia e visa apenas melhorar a coleta de dados sobre comércio exterior para efeitos estatísticos.

 

O Ministério diz que não pretende voltar ao sistema vigente na década de 70 e que os pedidos de autorização para importar serão gradualmente suspensos.

 

Os integradores que dependem de chips e circuitos importados temem que a burocracia do governo entrave importações e os faça perder boas negociações no exterior. Há o temor de que as concessões de autorização possam levar até meses para serem assinadas pelos técnicos do governo, gerando custos extraordinários para a indústria brasileira.

 

Se o freio nas importações não for solucionado, industriais temem ver seus custos crescerem ainda mais – pois já subiram muito desde a alta do dólar – o que pode encarecer os eletrônicos vendidos no Brasil e, conseqüentemente, criar um ciclo negativo com preços mais altos, menos consumo e menos emprego.

Fonte: Revista INFO

Problemas com o YouTube

Mais um POST plagiado do PeopleWare, constantemente tenho problema ao reproduzir vídeos flash (Youtube; Break; etc..) no Firefox.

O vídeo começa a reproduzir apenas por um ou dois segundos e depois pára, tudo isto sem som.

O problema está no novo Adobe Flash Player, para resolver isso basta desinstalar a ultima versão e instalar a anterior ao problema.

  1. Download do pacote zip com este fix.
    O pacote contém o desinstalador e os últimos flash players da adobe anteriores ao problema.
  2. Correr FlashPlayerUninstallerForWindows.exe
  3. Reiniciar o PC ou Terminar Sessão e Iniciar de seguida.
  4. Instalar:
    Flashplaye8forFF-Version8r42.exe (Firefox) e
    Flashplayer9forIE-Version9r124.exe (IE)
  5. Reiniciar o PC ou Terminar Sessão e Iniciar de seguida.

Problema Resolvido, Internet Explorer nunca mais!