Category Archives: Tecnologia

Conheça os widgets mais incríveis para personalizar o Windows 7

Você ainda não sabe o que é um widget? É muito simples entender o que eles representam. Widgets são pequenos softwares bastante leves que são anexados à Área de trabalho para facilitar o acesso do usuário a informações que demandariam caminhos mais longos para serem adquiridas.

Widgets podem oferecer dados do sistema operacional, dos dispositivos do sistema ou até mesmo capturar informações de sites da web automaticamente. Assim conseguem colocar no desktop do usuário o que ele quer saber, sem precisar abrir navegadores, encontrar sites e todo o resto do processo.

O Portal Baixaki selecionou alguns dos widgets mais interessantes para o sistema operacional que mais vem conquistando usuários e fãs nos últimos meses, o Windows 7. São programas leves que podem ser muito úteis para todos os tipos de usuários.

Vários widgets instalados

Antes é preciso explicar como instalar um widget no computador. O processo é bastante simples, basta ordenar a execução do arquivo de instalação e em seguida autorizar a instalação. Logo em seguida o widget é aberto no desktop e, para alterar as configurações dele, é necessário clicar sobre a chave de fenda localizada à direita da interface principal.

Agora sim é hora de verificar as principais ferramentas para a Área de trabalho do Windows 7.

Mantenha seus programas sempre atualizados com ajuda do R-Updater

O R-Updater é um programa capaz de realizar a tarefa de manter os programas atualizados no computador a fim de garantir um bom desempenho nas tarefas realizadas e tornar o sistema mais seguro contra ataques. Cabe ao usuário somente baixar e instalar novas versões. Isso porque embora a maioria dos aplicativos disponíveis no mercado já conte com ferramentas que procuram automaticamente atualizações, nem sempre elas são feitas com sucesso.

R-Updater 1.1

Ao executar o R-Updater pela primeira vez irá começar uma análise automática da máquina em busca dos softwares instalados e gerar uma lista com todos os programas que dispõem de atualizações para download e informações como a versão instalada e possíveis softwares em versão de testes beta. Para realizar o download de qualquer um dos aplicativos listados, clique na opção Update para abrir uma janela própria do desenvolvedor do R-Update. Nela você encontra link para baixar a versão mais recente e pode acessar a página do desenvolvedor ou realizar uma busca no Google em busca de mais informações sobre a nova atualização.

R-Updater 1.1

Além de realizar análises manuais a qualquer hora, o R-Updater permite agendar seu funcionamento e trabalha em segundo plano para informar o usuário em tempo real sobre qualquer novidade. Portanto é só agendar uma análise semanal para garantir que todos os softwares instalados fiquem em dia com a versão mais recente. Entre as configurações complementares do R-Updater estão avisos personalizados sobre as atualizações de programas específicos. Por exemplo, enquanto um software pode receber alertas sobre qualquer atualização disponível, outro pode ser configurado para só ser atualizado quando houver uma grande atualização.

Download R-Updater (Disponível em versão instalável e portátil)

Compatível com todas as versões do Windows, incluindo o Windows 7 (32 e 64 bits)

Botnet ‘Chuck Norris’ ataca roteadores e modems DSL

Malware infecta equipamentos que possuem senha padrão de administrador e podem direcionar usuários de PCs para sites maliciosos.

Se você não mudou a senha padrão do roteador da sua casa, pode estar prestes a receber a visita indesejada do Chuck Norris – um botnet descoberto por pesquisadores tchecos, que se espalhou graças ao grande número de roteadores e modens DSL com configurações precárias, de acordo com o chefe do departamento de segurança de rede da Universidade Masaryk, Jan Vykopal.

O malware recebeu a alcunha de Chuck Norris devido a um comentário em italiano no código fonte: “in nome di Chuck Norris” (em nome de Chuck Norris).

Especialistas dizem que vários tipos de botnets infectaram milhões de computadores ao redor do mundo, mas o Chuck Norris é incomum porque afeta os modens DSL e os roteadores, em vez dos PCs, usando a senha padrão de administrador dos equipamentos.

Para infectarem os aparelhos, basta que eles usem a senha padrão e estejam configurados para permitir acesso remoto. O botnet explora sobretudo uma  vulnerabilidade dos dispositivos da fabricante D-Link, segundo Vykopal. Um representante da D-Link negou ter conhecimento do botnet, e a empresa ainda não comentou  a questão.

Segundo Vykopal, assim como outro botnet de roteador, chamado Psyb0t, o Chuck Norris pode infectar dispositivos baseados em MIPS que rodem sistema operacional Linux, disse Vykopal.  A combinação Linux/MIPS é amplamente usada em roteadores e modens DSL, mas o botnet também ataca receptores de TV por satélite.

Vykopal não sabe o alcance do botnet, mas disse que há evidências de que máquinas infectadas “estão se espalhando pelo mundo, da América do Sul à Ásia. O botnet atingiu diversas redes de servidores de provedores de internet e operadoras de Telecom”, afirmou.

No momento, máquinas infectadas com o Chuck Norris podem ser usadas pra atacar outros sistemas na internet,através dos famosos DDoS,  ataques distribuídos de negação de serviço. O botnet pode fazer uso também de  um “descobridor” de senhas, em outro computador, para mudar o sistema de nome de domínio (DNS) do roteador. Com esse ataque, vítimas pensam que se conectarão ao Facebook ou Google, mas acabam em páginas maliciosas que tentam instalar vírus nas máquinas.

Uma vez instalado na memória do roteador, o malware bloqueia a comunicação remota e começa a analisar a rede em busca de outras máquinas vulneráveis. Por estar presente na RAM do roteador, o Chuck Norris pode ser apagado com uma reinicialização do dispositivo.

Usuários que não querem ser infectados podem minimizar os riscos  através de ações simples. Entre elas, o uso de senhas fortes no roteador e no modem. Também é possível acabar com o problema atualizando o firmware do dispositivo e desativando a possibilidade de acesso remoto.

Nos últimos anos, hackers começaram a olhar para dispositivos como roteadores, que não são propriamente seguros, disse Vykopal. “Eles não são regularmente atualizados, mesmo com pacotes disponíveis”. E estão continuadamente conectados à internet, durante dias e meses”, disse.

No futuro, ele espera que mais malwares ataquem os aparelhos.

Fonte: PCWorld

7 dicas para planejar TI em 2010

Uma boa estratégia para TI em 2010 pode ajudar a reduzir custos e desperdícios nas empresas. Pedro Bicudo, sócio-diretor da TGT Consult, preparou uma série de dicas que podem auxiliar os CIOs.

Segundo o executivo, a instabilidade econômica presente em 2009 obrigou as empresas a abrir mão de investimentos e até dispensar força de trabalho para garantir seu bom funcionamento.

Após esse período crítico, chega a hora de aproveitar as oportunidades para planejar as estratégias para o próximo ano de forma mais eficiente.

“Na prática, preparar um plano não é fácil. Segui-lo é ainda mais complicado, por isso é necessário fazer um registro dessa estratégia, para que todos os envolvidos possam se comprometer e levar o plano adiante”, afirma Bicudo.

Confira as dicas do profissional e da consultoria para garantir o planejamento de TI em 2010:

1. Seu plano está documentado?

Para essa pergunta é comum que o CIO responda: “sim, claro, eu tenho um plano e todos nós sabemos o que fazer”.

Mas, é visível que sem um claro registro, as pessoas simplesmente esquecem, perdem o foco, e ao fim do ano não lembram quais eram suas metas. É melhor errar pelo excesso do que pela falta: publique o seu plano 2010.

2. O plano diferencia o estratégico do tático?

Verifique o plano e veja se está claro o que é tático. O direcionamento estratégico é aquele dá uma visão de longo prazo, um destino para TI e uma descrição de alto nível de como serão alcançados seus objetivos (é a estratégia para se chegar lá).

Já o tático, é um plano de execução descrito por projetos que iniciam agora, ou em poucos meses. Esse será feito já em 2010 e, ao ser entregue, terá contribuído para a estratégia de longo prazo da TI e da empresa.

3. Como será controlado?

Cada iniciativa pode ser medida? Cada projeto tem data definida? O plano 2010 deve conter a lista de entregáveis (milestones), associados a datas, para que seja possível medir o avanço do plano.

Para grandes projetos é mais fácil definir milestones, mas são as pequenas coisas do dia-a-dia que corrompem o seu planejamento. Por mais simples que sejam as metas, sempre deve haver um projeto associado, como por exemplo, se a iniciativa for: “reduzir o número de chamados de reset de senha em 10%”, ele deve ser corrigido para “o João será responsável por reduzir em 10% o número de chamados de reset de senha até o mês de julho e para isso terá um orçamento de R$ x,xx”.

Sem responsabilidade, recurso e cobrança o seu plano não vai sair do papel, e a verificação é simples, cada iniciativa ou projeto deve estar claramente definido: a data de inicio, a data de entrega, os recursos, o orçamento e a meta de resultado.

4. Existem produtos intermediários?

O plano deve estar estruturado para medir o avanço mensal. Medir os projetos por tempo e Homem/Hora (a gestão do tempo de cada pessoa levou trabalhando na a atividade ou projeto). Mas é válido lembrar que, essa medida é útil, porém insuficiente.

Tenha por política definir eventos realizados, ou entregas parciais, e procure sempre associar essa entrega a um benefício, assim, além de demonstrar o avanço, será possível “medir” os benefícios atingidos todos os meses.

5. O benefício pode ser demonstrado?

Não há nada mais frustrante do que entregar um projeto e ser perguntado “por que fizemos isso?”. Cada sub-item do seu plano 2010 deve ter uma razão. Escreva-a. Por exemplo, mesmo que “melhorar a qualidade do atendimento” pareça óbvio, isso precisa ser justificado, explicando a razão: “para melhorar a produtividade do usuário”.

Nesse exemplo o primeiro é a meta do projeto, e o segundo é a razão do negócio. O óbvio precisa ser dito e repetido. Sem comunicação não é possível demonstrar o valor entregue. Divulgue e faça-se notar.

Outro ponto interessante: não se esqueça de “matar” os projetos para os quais não se consegue descrever o benefício, porque são eles que “matam” o CIO.

6. Possui contingência? Você gerencia riscos?

Qual a alternativa se um projeto der errado, se a verba for cortada, se uma pessoa chave pedir a conta ou se aparecer uma demanda emergencial? Deve haver alternativas para cada projeto, como por exemplo: terceirizar, treinar recurso de backup, ter alternativa de fornecimento, linguagem, arquitetura, etc.

Cada projeto deve ter um pequeno capítulo, ou parágrafo, explicando quais são as alternativas em caso de problemas.

7. Seu plano é conhecido e defendido por todos?

Verifique se está acessível e se sua equipe entende porque existe cada um dos projetos. O entendimento, a compreensão e a repetição da comunicação são fundamentais para que a equipe mantenha foco na execução.

Quando todas as pessoas sabem o que é mais importante e o que deve ser feito, as suas decisões do dia-a-dia são melhores, mais assertivas, e todos saem ganhando com isso.

Fonte: Info

Hands-on: Magic Mouse da Apple

O Magic Mouse da Apple parece não ter nada diferente olhando por alto. É uma base de alumínio com um painel multitouch em cima. Pareceu meio estranho de usar a princípio, mas está anos luz à frente doMighty Mouse que conhecemos. Talvez eu até volte a usar um mouse.

A coisa estranha sobre o Magic Mouse não é como ele funciona. É que você tem diferentes comandos por gestos em relação ao trackpad do Macbook Pro.

Um exemplo óbvio: como você move o cursor movimentando o mouse inteiro com sua mão, você pode reservar o dedo para fazer o scroll em todas as direções, 360º (ao contrário de um mouse comum de PC que tem a rodinha de scroll vertical e às vezes, mal, horizontal)

Se você arrastar 2 ou 3 dedos rapidamente (o swipe) pela superfície, de um lado a outro enquanto usa o navegador, move-se o histórico para frente ou para trás. Fisicamente, o mouse é bonito e bom de usar. A parte de cima é feita de policarbonato branco que combina com as teclas dos teclados da Apple. Obviamente não há um mamilo de scroll, como no Mighty Mouse.

A superfície também simula os botões da esquerda e direita. Ao contrário de outros mouses da Apple, os dois botões funcionam perfeitamente. Dessa vez há um feedback físico, então quando você clica os botões, a superfície inteira clica, como o mouse original da Apple.

Ele funciona com duas pilhas AA, e a Apple diz que elas duram 4 meses. Você pode ter o mouse com o novo iMac ou pagar US$ 69 para tê-lo separadamente.

Há um probleminha que eu reparei: o mouse às vezes se move quando tento rolar – eu possivelmente consigo me acostumar com isso, mas foi algo que aconteceu comigo e com o cara que apresentava o produto que certamente teve mais tempo com o mouse. E descobri que há uma razão para você varrer o mouse/touchpad com menos dedos (2, ao invés de 4 no touchpad): seu dedo anular precisa segurar o mouse apropriadamente ou esse negócio pode derrapar pela sua mesa.

Uma boa notícia: pelo software, dá para configurá-lo para canhotos.

Virtualização – O que é e para que serve?

Todos os dias quando procuro novidades tecnológicas tenho visto cada vez mais a palavra “virtualização” a aparecer nos títulos das noticias. Alguma vez se perguntaram exactamente o que é “virtualizar um SO” ou mesmo uma aplicação?

Tentarei no artigo seguinte dar uma ideia geral sobre os vários tipos de virtualização e que objectivos se podem obter.

A virtualização não é mais do que a partilha de recursos físicos de uma maquina (CPU, RAM, Disco Rígido) entre varias maquinas virtuais, ou seja, a ocupação de recursos que estejam livres na maquina física.

Vejamos um exemplo prático:
Em várias empresas é normal a existência de vários servidores físicos para os mais distintos serviços, um para partilhar ficheiros, outro para armazenar base de dados, outro para partilhar impressoras. Traduzindo por miúdos todos estes servidores tem um custo quer a nível manutenção do hardware para cada um deles, como a nível de electricidade e espaço.

E se pudéssemos juntar tudo numa só máquina?

É para responder a esta questão que surgiu a necessidade de virtualização. A poupança de recursos mantendo sempre o bom funcionamento da plataforma tecnológica!

Para tal apenas necessitamos de um servidor de maquinas virtuais, que pode ir de equipamento extremamente caro construído apenas para o efeito tal como um Vmware ESX Server até ao mais simples dos computadores. Claro que as diferenças entre estes dois equipamentos estará sempre em causa mas esse não é o objectivo deste artigo.

Já sabemos que podemos criar vários “computadores” dentro de um, mas que precisamos para tal?

Neste momento as plataformas empresariais mais conhecidas são VMware, Hyper-V e XEN.

As diferenças entre eles são imensas e serão apresentadas num próximo artigo. Para exemplo utilizo para exemplificação a plataforma Hyper-V da Microsoft.

Tal como podemos ver tenho várias “máquinas virtuais” criadas. Maquinas estas às quais podemos definir características como, nº de discos, capacidade da ram, unidades de cdrom, portas COM, LPT, Placas de Rede… bem tudo o quanto podemos escolher quando compramos um pc novo…

O grande beneficio da virtualização, e esta sim é a resposta central ao porque do “boom” que esta tecnologia está a obter a cada dia que passa, é que ao invés de termos 4 servidores a utilizar 10% de recursos de cada um e a gastar 100% de electricidade e manutenção, podemos eventualmente junta-los todos num só hardware ao que iremos gastar exactamente as percentagens de recursos que desejarmos, queremos uma maquina com 1024mb de ram, outra com 256 e outra com 2048?

Perfeitamente… desde claro tenhamos hardware físico, neste caso 3328Mb de ram para alocar as diferentes máquinas. Ou seja no final teríamos apenas uma máquina física a gastar electricidade e a performance praticamente a mesma.

No entanto nem tudo é um mar de rosas, existem cuidados a ter com este tipo de situações, cuidados esses que irão depender de cada implementação.

A própria Microsoft já tem aplicações para o “utilizador comum” virtualizar algumas maquinas, neste caso o Virtual PC o qual nos permite no nosso próprio computador, sem ter necessidade de termos qualquer tipo de requisito mínimo um outro sistema operativo a correr.

Certamente se lembram das complicações que houve em migração de aplicações do Windows XP para o Windows Vista, mesmo após estes anos todos tenho certeza que ainda existem muitas aplicações que não funcionam e que requerem o velhinho XP!

Com a saída do Windows 7 a Microsoft sabia que isto ainda iria acontecer, daí que lançou um “actualização opcional” denominado “Windows XP Mode” (actualmente ainda em versão Release Candidate) que admirem-se ou não , nada mais faz do que correr uma maquina virtual no nosso próprio computador com o Windows XP instalado. Ou seja, o comum utilizador pode usufruir de todos os benefícios que o Windows 7 traz, como ainda pode trabalhar naquela aplicação que ainda requer um MS-DOS ou que apenas funciona em XP.

Para mim o perfeito exemplo de uma grande vantagem da virtualização. À semelhança do slogan “Vá para fora cá dentro” podemos quase dizer que “Utilize o Windows XP com o Windows 7 instalado”

Fonte: PeopleWare

Netbooks, a onda dos computadores pequenos

Os netbooks possuem uma atrativa combinação de características que conquistaram os consumidores que procuram utilidade e economia na hora de comprar um computador: são pequenos, potentes, bonitos e de baixo custo.

Os netbooks são pequenos, rápidos, bonitos e baratos.

Fatores como a crise econômica, a popularização da tecnologia nos países emergentes e o desenvolvimentos de softwares mais eficientes, impulsionaram o crescimento desta categoria de “subportáteis”.

No entanto, este tipo de computadores é projetado para um tipo específico de consumidor e é importante se informar muito bem antes de adquirir um destes aparelhos.

O que é um netbook?

É uma categoria dentro do segmento de computadores portáteis cujo tamanho é menor do que um notebook convencional, 12 polegadas ou menos, e que é projetada para oferecer ao usuário funções básicas, como navegar na internet, escrever ou trabalhar em folhas de cálculo.

Os netbooks procuram satisfazer os usuários que estão sempre se movimentando, pois pesam em média 1,5 kg, facilitando o transporte. Também são projetados com baterias de duração prolongada.

O termo “netbook” foi popularizado pela fabricante de chips Intel no início de 2008, quando lançou no mercado seu processador Atom, destinado para dispositivos móveis para navegar na internet.

O custo

A popularidade desta categoria de computadores, cujos preços podem chegar a menos de US$ 500, aumentou muito no final de 2008, em parte, devido à crise econômica global.

“Muitos consumidores preferem comprar netbooks pelo seu preço baixo. Pelo menos, esse foi o meu caso”, explica a comunicadora social Luisa Varela, que decidiu comprar um netbook quando precisou substituir seu computador de 15 polegadas.

O sistema operacional

O software com o qual operam os netbook possuem características especiais para este segmento. Como são computadores com menor capacidade que os tradicionais, várias empresas de softwares desenvolveram sistemas operacionais específicos que otimizam as propriedades destes computadores.

O mais popular até o momento é o já conhecido Windows XP. Com a chegada do Windows Vista, acreditou-se que o XP iria desaparecer, mas a Microsoft decidiu prorrogar a venda de licenças para netbooks. Esta parece ser uma solução temporária enquanto não chega o Windows 7, que também estará apto para os netbooks.

A Google possui um software para dispositivos móveis chamado Android, que também pode ser usado em netbooks. No entanto, a empresa anunciou que está desenvolvendo um sistema operacional chamado Google Chrome OS, que pretende melhorar o acesso à internet e será lançado exclusivamente para netbooks no início de 2010.

Também existem os sistemas operacionais baseados no Linux, como Ubuntu Netbook Remix e Jolicloud, cuja disponibilidade depende dos fabricantes.

Infinidade de modelos

A categoria de netbooks cresceu de maneira vertiginosa e hoje a maioria dos fabricantes de computadores possuem um modelo de netbook à venda no mercado. Para aqueles que não sabem como escolher, podem se guiar por esta seleção dos cinco netbooks mais vendidos no mundo.

Bill Gates confima Projeto Natal para PC

Tecnologia de captura de movimentos não será exclusividade do Xbox 360.

Joystiq
Tom Cruise se antecipou ao Bill Gates no Minority Report

Todos gostaríamos de parecer bobos na frente do computador, não? Agora, isso não será um luxo só dos usuários do XBox 360. Bill Gates, o eterno chefão da Microsoft, basicamente confirmou que o Projeto Natal virá para PC também! Em uma entrevista à CNET, o homem do Windows disse que o periférico de captura de movimentos não é só para games, mas para “consumidores de mídia como um todo”.

Gates disse que as divisões do Windows e do Xbox já testaram a tecnologia e ainda menciona seu uso em escritórios – não, ele não falou “Office“, mas sim “office”, ou seja, escritório. Prepare-se para levar muitos tapas involuntários enquanto estiver gesticulando para mover uma célula para outra coluna no Excel em seu local de trabalho.

Confira como é o Projeto Natal no vídeo abaixo, durante a demonstração com o XBox 360 na feira de games E3 em junho passado:


Realidade Aumentada: Dicas de Programas e Jogos na webcam

Quem viu o Jornal da Globo do dia 11 de junho de 2009, deve ter achado o máximo a realidade aumentada, aqui nesta postagem vou tentar esclarecer dúvidas a respeito dela bem como deixar algumas dicas de programas e jogos que você vai poder experimentar a partir da sua simples web cam caseira, sem o uso de nenhum chipp ou dispositivo especial.

Assita ao video do jornal da globo que explica a realidade aumentada:

Veja o funcionamento da logo que a globo exibe em realidade virtual no vídeo do link ou experimente no neste link aqui

O que é e como funciona
A Realidade Aumentada, como o nome já diz refere-se a completar, unir ou juntar a experiência Real com a exibição virtual.

Ex:
Imagine-se segurando uma régua de 30 cm e na frente de uma webcam ligada ao PC.

Realidade Reproduzida
Na tela do computador, sem o programa da realidade aumentada, você verá em tempo real a regua de 30 cm se movendo na sua mão.

Realidade Aumentada
Na tela do pc, com o programa da realidade aumentada configurado, você poderá ver em sua mão se movendo jundo a régua de 30 cm, uma régua de 60 cm, uma vaca, uma cobra ou qualquer vetor em 3D que configurado e mapeado anteriormente permite ao programa sobre-escrever em um video real um objeto virtual.

Aplicações da Realidade aumentada
Essa foi a forma mais fácil que cosegui explicar, as aplicações para a realidade aumentada ainda estão sendo desenvolvidas. A realidade aumentada já se aplica nos jogos do tipo Nintendo Wi, Jogos de PC, Programa, Publicidade e Propaganda, Engenharia e Robótica, Na medicina e até na acessibilidade para portadores de necessidades especiais (visuais e motoras).

CamSpace Open Beta 7 Realidade aumentada – Nintendo Wi de graça

Conheça o simulador de joistick em realidade virtual, Ganhe um nintendo wi para pc, é isso que promente o joguinho ainda em faze beta, ele é capaz de mapear qualquer objeto que colocamos na frente da web cam e transformar em um controle no estilo nintendo wi, não é d+? Para jogar jogos de corrida, você pode usar um volante de papelão, para você pode jogar ping-pong com uma raquete de papel e bola virtual. e varios outros jogos que você nem imagina…

Download do CamSpace: clique aqui

Depois que baixar o programa e instalar, ligue a sua webcam, pegue um caixinha de pasta de dente, embrulhe com uma cor forte e que não tenha outra igual sendo visualidada pela webcam istale o seu primeiro joguinho clicando aqui, abra o jogo e divirta-se.

Galeria de Games para CamSpace
Você vai encotrar jogos já emulados para os controles do camspace que não necessita configuração, acessando este link. Os jogos já vem com o controlador junto.

Emuladores para CamSpace
Você vai poder controlar jogos do tipo, mario, coutrerStrike, NeedForSpeed entre outros… acessando este link para isto vc já deve ter o jogo pago instalado no seu computador.

Fonte: DicaeDica

Com sensores, Project Natal quer aposentar o controle

A Microsoft revelou em sua conferência na E3, realizada nesta segunda-feira (1º), o Project Natal , dispositivo que traz uma série de sensores para o Xbox 360. O aparelho tem detecção de movimento de corpo inteiro, além de reconhecimento de rosto e voz, e fica posicionada em frente à TV.

No vídeo de demonstração no evento, foi revelado um game de luta, que faz exatamente os mesmo movimentos corporais do jogador; um jogo de corrida em que se joga com gestos, como se estivesse segurando um volante – outros jogadores atuam durante o pitstop -; e um título de chutar a gol. Foi mostrado também um jogo de skate, em que o usuário pode “escanear” o próprio equipamento. Esse título também é controlado por gestos.

O sensor também conta com um sistema de reconhecimento de face. Assim, quando um usuário fica em frente ao sistema, o Xbox 360 faz o login na Xbox Live, e o avatar passa a imitar seus movimentos. Também tem reconhecimento de voz e, com essa função, é possível ativar comandos apenas falando. Para tocar um vídeo, basta dizer “play”; com “good bye”, o console é desligado.

O corpo é o controle

A navegação na dashboard pode ser feita com movimento das mãos. Games como “1 vs 100″, de perguntas e respostas, passam a ser jogados com gestos e voz, quase como nos programas de TV do gênero na vida real. Ou seja, o sistema também sabe o número de jogadores, que abre possibilidade para títulos multiplayer.

Foram mostrados dois aplicativos ao vivo durante a E3. Em “Ricochet”, o objetivo é rebater uma bola, com qualquer parte do corpo. Como o sensor é 3D, consegue reconhecer distâncias, ou seja o avatar do jogador pode se movimentar em todas as direções do espaço virtual. A precisão parece alta, reconhecendo até a abertura das mãos e a velocidade com que os movimentos são feitos.

Já em “Paint Party”, o usuário simula que está jogando tinta com as mãos num quadro gigante. A cor é escolhida através de comando de voz. E existe uma funcionalidade de recortar máscaras usando os contornos de seu corpo.

Nomes estrelados

Dois grandes nomes da indústria estão trabalhando com o Project Natal. Um deles é o consagrado diretor Steven Spielberg, que recentemente também passou a fazer games (caso de “Boom Blox”). Por ora, seu projeto ainda está envolto em mistério.

A outra personalidade é Peter Molyneux, presidente da Lionhead Studios, que demonstrou “Milo”. Essse é o nome do garoto virtual que guiou a demonstração do jogo, na qual caminhava por uma enseada e a jogadora que interagia com Milo através de conversa e movimentos pode mexer na água (até seu reflexo aparece). O garoto apresenta movimentos faciais bastante realistas, com destaque para a movimentação da boca durante a fala.

Na última parte da demonstração, a jogadora desenhou algo em uma folha de papel e a “entregou” a Milo, erguendo-a em frente a câmera e, no mesmo instante, Milo aparecia com a folha em mãos na tela. Segundo Molyneux, Milo reconhecerá os desenhos feitos em papel, mas como essa interação acontece será demonstrada em uma apresentação à portas fechadas durante a E3.